Dia do Folclore e as Escolas

Hoje, 22 de agosto, comemoramos o Dia do Folclore. Para nós adultos, em nosso dia a dia, pode até não ter a importância devida. Mas, o Folclore está presente em nossas vidas desde a nossa infância quando participávamos das festas escolares com este objetivo. Aliás, até hoje o Folclore faz parte do plano de aula dos professores.

O Dia do Folclore tem celebração internacional desde 1846, quando a palavra em inglês “Folklore” foi criada pelo escritor inglês William John Thoms que juntou “folk”  (povo, popular)  com  lore (cultura, saber), segundo ele, o significado era o saber tradicional de um povo.

No Brasil, a data foi oficializada pelo Presidente Humberto Castelo Branco em 1965, quando o Dia do Folclore passou a ser celebrado em todo território nacional. 

“Nós,  professores , temos intrínseco contato com o Folclore, seja nas danças regionais, seja em jogos e brincadeiras frequentemente praticados ou até mesmo nos desenhos e nas artes desenvolvidas por nossos alunos.  Os professores são fundamentais na divulgação. São eles que apresentam os personagens, contam as histórias e ensaiam as crianças em festas temáticas Esta também é uma tarefa do professor que vai muito além das paredes de uma sala de aula.O Folclore tem participação importantíssima em nossa formação”, fala o Vereador e Professor Célio Lupparelli.

No Brasil, a diversificação é grande. O Saci Pererê com suas traquinagens é um dos personagens mais conhecidos em nosso folclore, mas temos muitos outros, como: O Boto Rosa, Boitatá, Lobisomen, Curupira e outros.

Muitos brinquedos e brincadeiras populares também somam as nossas raízes folclóricas. Entre elas: bolas de gude, pipas, pião, estilingue, e os jogos populares como, amarelinha, pega-pega e esconde-esconde. 

Compartilhe este artigo

SIGA CÉLIO LUPPARELLI!

Participe de nossas redes sociais

Fale agora conosco!