O celular no banco da escola ou no banco dos réus?

Que a tecnologia é fundamental para o mundo em que vivemos, não há a menor dúvida. Mas, até que ponto ela pode ajudar ou atrapalhar? Em que situação devemos admitir a sua utilização ou não?

O fato é que a Prefeitura do Rio publicou decreto que proíbe o uso de celulares nas salas de aulas das escolas da rede municipal. A iniciativa pode ser polêmica ou não, dependendo do ângulo que observamos.

Vamos exemplificar: você é pai ou mãe e está falando com o seu filho, explicando algo que deseja ou solicitando a realização de uma tarefa. Ele, o filho, está com o celular na mão e olhando a rede social. O que você faz? Acha normal e continua a falar mesmo que ele não esteja prestando atenção ou pede que desligue o aparelho e fique atento à você? Saindo do âmbito familiar, você, agora, está no trabalho e seu chefe lhe explica uma tarefa, você está no celular ou olhando pra ele e prestando atenção à determinação?

Na verdade, o celular nos tira a atenção do que acontece ao nosso redor e não é preciso ser estudioso no assunto, basta prestarmos atenção no cotidiano. 

Em se tratando da sala de aula, estudo da Unesco, Agência das Nações Unidas para a Educação, apontou que o tempo de exposição à tela está associado a menor curiosidade da criança e até mesmo a casos de depressão. 

O Vereador Professor Célio Lupparelli tem anos no magistério, teve que aprender a lidar com diversos percalços: “havia tempo em que o aluno levava o walkman para a sala de aula, queria assistir a aula ouvindo música. Lembro que era preciso muita conversa para mostrar a necessidade de guardar o equipamento. Acredito que o mesmo vá acontecer agora, a criança vai entender que não é apenas uma proibição e sim uma conscientização de que existem local e horário para tudo. O Conselho Escola Comunidade pode ajudar nesta etapa.  O celular tira a atenção do aluno, isso é óbvio! Mas, isso deve ser um trabalho conjunto entre a família e a escola. É a nossa consciência de que existem momentos em que não cabe a utilização do aparelho.”

Com a proibição, o celular somente será permitido, em sala de aula, caso o professor avalie sua necessidade para fins pedagógicos. No Rio de Janeiro, a iniciativa começou a valer neste mês de agosto de 2023, mas, já está em prática em alguns países, como: EUA, Holanda, Portugal e outros.

É uma questão de tempo, vamos todos nos adaptar a esta nova realidade. O celular não está no banco dos réus, apenas deve ficar dentro da mochila no banco da escola.

Gostaria de deixar a sua opinião? Comenta aqui:

Compartilhe este artigo

SIGA CÉLIO LUPPARELLI!

Participe de nossas redes sociais

Fale agora conosco!