O Dia Mundial da Alfabetização

Celebrado em 8 de setembro, é uma ocasião para destacar a importância do domínio da leitura e escrita como um direito humano fundamental. A alfabetização desempenha um papel crucial na capacitação das pessoas, permitindo o acesso à educação, ao conhecimento e à participação plena na sociedade.

No entanto, a situação do ensino atual em relação à alfabetização varia consideravelmente em todo o mundo. Embora muitos países tenham feito progressos significativos na melhoria do acesso à educação básica, ainda existem desafios persistentes, especialmente em regiões desfavorecidas e países em desenvolvimento.

Precisamos considerar alguns pontos sobre a situação atual do ensino e da alfabetização, como:

A falta de acesso à educação de qualidade continua a ser um problema em muitos lugares, com crianças em áreas rurais, comunidades marginalizadas e países em conflito enfrentando barreiras significativas para a alfabetização.

Além do acesso, a qualidade da educação é fundamental. Muitas vezes, sistemas educacionais enfrentam desafios em termos de currículo, treinamento de professores e infraestrutura.

O avanço tecnológico trouxe a necessidade de alfabetização digital, uma habilidade essencial no mundo moderno. Garantir que todos tenham acesso à tecnologia e às habilidades necessárias é um desafio em muitos lugares.

A alfabetização não é apenas para crianças. A educação de adultos desempenha um papel importante na redução da taxa de analfabetismo em todas as faixas etárias.

A comunidade internacional reconhece a importância da alfabetização e estabeleceu metas globais para melhorar a educação, como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

O Dia Mundial da Alfabetização nos lembra que a alfabetização é um direito humano básico que deve ser acessível a todos. O investimento na educação de qualidade, a superação das desigualdades e o fortalecimento da alfabetização são passos cruciais para o progresso individual e o desenvolvimento sustentável das nações.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2022 a taxa de alfabetização do país era de 94,3%. O Rio de Janeiro é a segunda unidade federativa com o maior índice (97,9%), o primeiro lugar ficou com o Distrito Federal onde 98,1% da população é alfabetizada. A Região Nordeste teve a taxa de analfabetismo mais elevada do país, com 11,7%, enquanto o Sudeste obteve a mais baixa, em 2,9%. Entre as 9,6 milhões de pessoas com 15 anos ou mais de idade que não sabiam ler e escrever no país, 59,4%, ou 5,3 milhões, vivem lá.

Só se constrói uma nação forte com Educação.

Compartilhe este artigo

SIGA CÉLIO LUPPARELLI!

Participe de nossas redes sociais

Fale agora conosco!