O Valor da Escola Pública

A escola pública é mantida com dinheiro público e, por óbvio, deve existir para atender à população em geral, sem segregação de qualquer tipo. Deve promover a inserção social, possibilitando a todos a ascensão na pirâmide social, o que vale dizer que ela precisa ser uma instituição de pluralidade cultural, étnica e religiosa. A escola pública é o retrato da sociedade e da comunidade onde ela está inserida. Não é papel da escola “moldar” crianças e adolescentes, criar padrões rígidos e conservadores, inibir a criatividade, impedir a livre manifestação respeitosa e democrática dos educandos, mas sim, mostrar as diversas possibilidades, potencializar as ações criativas, despertar lideranças, estimular leituras, pesquisas e soluções de problemas e incentivar inovações. Se os jovens estudiosos, ao longo da história da humanidade, só repetissem padrões e conhecimentos pré-estabelecidos e conservadores, não teríamos todo o avanço tecnológico e científico que tantos benefícios trouxeram para a vida humana e de outros seres. Não teríamos aparelhos e dispositivos como telefone, rádio, televisão, tomógrafo, avião, carro, geladeira. A escola civico-militar usa dinheiro público, mas não é para todos. Prioriza a disciplina rígida como solução de todos os problemas, a repetição de padrões ultrapassados e não é inclusiva nem universal. Inibe a criatividade e a inovação. Tende a formar cidadãos repetidores de padrões preconcebidos. Não favorece o espírito crítico. Acaba por beneficiar as crianças e os adolescentes que têm estrutura familiar bem formada, excluindo os alunos que mais necessitam de acolhimento e oportunidades. Cria a cultura do ” nós somos nós e o resto é o resto”. Não há lógica em se criar ou se manter, na rede municipal, com dinheiro público, um grupo seleto, com prioridades e benefícios que não se estendem a todas as crianças e a todos os adolescentes. Isso fere o princípio constitucional da Isonomia. O Poder Público deve dar a todos os jovens as mesmas condições e oportunidades de desenvolvimento físico, mental e intelectual para o estabelecimento da Cidadania e da Justiça Social. Fui professor regente de turma, coordenador de ensino, supervisor pedagógico e diretor de escola pública. Militei na educação por mais de quatro décadas e considero que nosso objetivo deve ser o de melhorar a qualidade da escola pública para atingirmos a universalidade das crianças e dos adolescentes, com ensino de ótima qualidade, sem a criação de grupos elitizados em detrimento da grande maioria.

Compartilhe este artigo

SIGA CÉLIO LUPPARELLI!

Participe de nossas redes sociais

Fale agora conosco!