Reunião de Fiscalização das Concessionárias, vencedoras dos leilões da CEDAE, discute o balanço de 2023 da Rio + Saneamento

Em atuação na Capital desde 2022, a concessionária tem investido em ações de controle de qualidade da água distribuída à população da Área de Planejamento Cinco.

A Comissão Especial com a finalidade de fiscalizar os serviços das vencedoras do leilão da Cedae, presidida pelo vereador Prof. Célio Lupparelli, voltou a se reunir nesta sexta-feira, 8 de dezembro, para discutir os balanços de 2023 das concessionárias do município. O encontro contou com a presença de representantes da empresa Rio + Saneamento, que apresentaram as ações e investimentos já realizados, bem como o planejamento previsto para o ano que vem. A concessionária é responsável pela distribuição de água em 24 bairros da Zona Oeste do município, abrangidos pela Área de Planejamento 5 (AP-5).

Anteriormente, o colegiado também debateu o desempenho das empresas Zona Oeste Mais Saneamento, Iguá Saneamento e Águas do Rio, que atuam, respectivamente, na Zona Oeste; Barra da Tijuca, Recreio e Jacarepaguá; e zonas Norte, Sul e Central.

O Coordenador de operações da Rio + Saneamento, Ubirajara Alves Júnior pontuou que a concessionária está em atuação na região desde agosto de 2022, e passou por um período de transição com operações pré-assistidas pela Cedae, para melhor entender o funcionamento dos sistemas. “De lá para cá, priorizamos os nossos investimentos para a realização de melhorias. Queremos que o cliente tenha, sobretudo, água de qualidade, porque não basta que ela apenas chegue nas casas”.

Ao todo, a empresa conta com cinco bases operacionais distribuídas entre a AP-5, sendo as três principais nos bairros de Campo Grande, Realengo e Santa Cruz. Segundo o coordenador de operações, elas servem para descentralizar o atendimento, melhorando a agilidade nos serviços do dia a dia.

Dentre os investimentos realizados pela concessionária, é possível destacar: a aquisição de equipamentos de análises laboratoriais, que garantem o controle de qualidade da água; a criação de um laboratório móvel; a instalação de 22 macro medidores para auxílio na redução de perdas; o assentamento de 12 km de rede de água na Zona Oeste; o prosseguimento da substituição de cerca de 14km de rede de água; e a instalação de 12 estações elevatórias, previstas para serem entregues até o fim de deste mês. “Já realizamos algumas melhorias, outras estão em andamento e ainda vamos fazer muito mais” sublinhou.

O Planejamento para o ano 2024:

Estão na previsão da concessionária para o ano que vem a inauguração de 41 estações elevatórias de água tratada (EEAT) e a implantação e substituição de aproximadamente 86 km de rede de abastecimento. De acordo com o coordenador de operações, essa intervenção no sistema acontece, dentre outros motivos, para melhorar a situação de 89 logradouros mapeados.

“Identificamos pontos que devem ter máxima atenção, pois existe uma questão pontual de falta d’água. Já fizemos algumas melhorias e estamos monitorando e controlando esses locais”, disse.

A Parada do Guandu

Em meio aos recentes problemas de falta d’água que atingiram determinados pontos do município após a parada anual da Estação de Tratamento do Guandu, o vereador Prof. Célio Lupparelli pediu detalhes sobre o ocorrido na área atendida pela concessionária. “Esse problema aconteceu de fato por conta da parada? E chegou a atingir a AP-5?”, questionou.

“Essa é uma ação planejada que interfere em todas as regiões. O que pode acontecer é que, por conta de uma parada dessa magnitude, existe um tempo de pressurização dos sistemas, e a água pode demorar a chegar em pontos mais elevados. Nós nos preparamos para ficarmos 24 horas sem água, mas acabou voltando antes do previsto. Nossas adutoras já estão abertas e operando normalmente, mas eventualmente podemos sofrer problemas pontuais que vamos monitorando constantemente”, explicou Junior. 

Uma região, duas concessionárias

Apesar de a distribuição de água ser realizada pela Rio + Saneamento, a emissão e cobrança de boletos é de responsabilidade da empresa Zona Oeste Mais Saneamento, que também atua no tratamento de esgoto da região. Foi abordado também problemas na concessão comercial .

Foi abordado também durante que estão realizando o cadastramento antecipado de clientes por parte da Zona Oeste Mais, sendo que as obras de saneamento básico nas comunidades ainda não foram concluídas e que as equipes estão entregando cartas que podem ser percebidas como intimidatórias. O cadastro deveria ser feito pela empresa que faz a distribuição. A proposta para o fato é que a Rio + Saneamento faça a sua arrecadação da água de forma separada, pois uma cobrança única juntamente ao esgoto não funciona.

Em resposta, os representantes reiteraram que o contrato de concessão havia sido feito nesses moldes, não havendo possibilidade de mudanças. Finalizou vislumbrando a possibilidade de revisão do contrato.

No próximo dia 14/12, realizaremos de modo virtual a leitura do relatório de todas as ações realizadas durante o ano de 2023 pela Comissão.

Compartilhe este artigo

SIGA CÉLIO LUPPARELLI!

Participe de nossas redes sociais

Fale agora conosco!